Todo Dia Com as Escrituras

Êxodo 12:40-51 — 13:1-10 (leia aqui)

Deus faz todas as coisas começarem a partir do dia da redenção (12:2; 1 Reis 6:1). Ele institui a páscoa como um estatuto perpétuo. O pensamento do inimigo com respeito ao Cordeiro é: "Não haja mais memória do seu nome" (Jeremias 11:19). Mas Deus, para quem a obra de Seu Filho tem grande valor, cuida para que a memória dessa obra seja perpetuada. "Esta noite se guardará", proclama o Senhor (v. 42 — VRC), e mais adiante diz: "Lembrai-vos deste mesmo dia" (v. 3). Na instituição do memorial da Ceia em substituição ao da páscoa, o Senhor Jesus pediu aos próprios discípulos que a fizessem em memória de Si mesmo (1 Coríntios 11:24-25). Qual tem sido a sua reação diante desse desejo do Senhor?

No capítulo 13, o Senhor declara Seus direitos sobre as vidas que Ele acabara de redimir (cap. 12). Alguns crentes, em particular os filhos de pais cristãos, se satisfazem por estarem salvos e não consideram a consagração que deve seguir a isso. Mas a mesma voz que diz: "Quando eu vir o sangue, passarei por vós" (12:13), exige agora: "Consagra-me todo primogênito… é meu" (v. 2). A festa da Páscoa estava estreitamente associada à festa dos Pães Asmos. Com isto, aprendemos que a necessidade de nos colocarmos debaixo da proteção do sangue e a necessidade de nos santificarmos são duas verdades inseparáveis para os filhos de Deus (veja Tito 2:14).

Outros devocionais

Fale ConoscoQuem SomosTermos de usoPrivacidade e Segurança